Depois de Porto Alegre, Fortaleza e Salvador, a administradora do terminal de Florianópolis cobra a companhia aérea