Companhia aérea recebeu a maioria dos votos de magistrados da Justiça de São Paulo em favor da quebra. Três desembargadores votaram a favor e um contra