A maior low-cost dos Estados Unidos, a Southwest, está em maus-lençóis com os cancelamentos. A companhia perdeu US$ 150 milhões como resultado de 9,4 mil voos cancelados de fevereiro a março. A perda foi agravada pela crise do Boeing 737 Max 8.

Assim, cerca de 2,8 mil cancelamentos da Southwest ocorreram devido ao banimento do Boeing 737 Max 8 do espaço aéreo americano pelo presidente dos EUA, Donald Trump, no início do mês. Ao todo, a aérea conta com 34 aviões do modelo em sua frota.

Além disso, as perdas estimadas de US$ 150 milhões se somam a outro prejuízo de US$ 60 milhões causado pela redução da demanda de passageiros no mesmo período do ano.


LEIA MAIS

+ Boeing atualizará software e revisará treinamento de pilotos do 737 Max 8

+ Gol e outras aéreas suspendem operações com o Boeing 737-800 Max

+ Boeing suspende entregas do 737 Max, porém mantém produção

Contudo, outros 3,8 mil voos da companhia americana foram cancelados em decorrência de mal tempo para voar e outros 2,8 mil devido a falta de manutenção, devido ao embate trabalhista com a Associação Fraternal de Mecânicos de Aeronaves (AMFA).

Devido aos cancelamentos, a Southwest estima que a capacidade para os três primeiros meses do ano devem crescer apenas 1%, um índice menor do que os 4% alcançados no mesmo período do ano passado.


Leia Também:

O post Crise do Boeing 737 Max 8 agrava perdas da Southwest; entenda apareceu primeiro em Brasilturis Jornal – Tudo sobre o mercado de turismo no Brasil.