Overbooking

Overbooking, tudo que você precisa saber

Um dos grandes temores de quem viaja de avião é enfrentar eventos que o obrigue a interromper sua viagem ou mesmo adiá-la por fatores alheios a sua vontade.

Isso porque esses incidentes obrigam a uma completa alteração nos planos daquele turista, que não sabe se conseguirá manter sua programação normal sem qualquer tipo de perda.

Os mais comuns são os relacionados a eventos naturais, como chuvas intensas ou tempestades de neve em países da Europa ou dos Estados Unidos. No Brasil, onde não temos um inverno tão severo, são as tempestades de verão que podem render grandes dores de cabeça.

Eventos como esses costumam interromper o tráfego aéreo e obrigar a uma verdadeira reestruturação em todos os voos, tanto nacionais quanto nacionais, além de provocar um dos eventos mais temidos de quem está viajando a passeio ou a trabalho: o overbooking.

Sempre sinônimo de brigas e muita confusão, ele pode representar prejuízos financeiros (como o cancelamento ou perda de reservas em hotéis e pacotes de passeios) ou emocionais, já que muitos passageiros precisam ficar horas esperando uma resolução para esse problema.

Você já ouviu falar desse problema? Sabe exatamente do que se trata e como proceder caso seja vítima de problemas envolvendo o overbooking? Não? Então fique atento a esse texto.

Overbooking

Overbooking

Preparamos um guia completo com todos os passos para se livrar desse problema e poder completar sua viagem seguro, sem grandes dores de cabeça ou, caso seja vítima de um overbooking, conseguir reaver parte de seu prejuízo.

O que é Overbooking (ou Overselling)?

Imagine que você finalmente comprou aquela passagem que tanto desejou para as férias dos sonhos. Hotel reservado, malas prontas, você segue para o aeroporto.

Entra na fila do check-in, com horas de antecedência e tudo está aparentemente em ordem. Até que descobre que, infelizmente, não conseguirá embarcar.

Não há nada de errado com o clima. A visibilidade está boa, o avião em perfeitas condições. O erro foi da companhia aérea mesmo. No caso, ela lhe vendeu uma passagem de avião que simplesmente não existe.

Parece desesperador, não é mesmo? E realmente é. O que descrevemos aqui é a representação de um overbooking.

Overbooking quer dizer que uma companhia aérea vendeu mais passagens aéreas do que o avião tem capacidade para comportar. É também chamada de overselling e erroneamente de overbook ou over book.

Conforme a página de perguntas e respostas da ANAC: Overbooking é a reserva, pela empresa aérea, de número superior de bilhetes em relação à capacidade de assentos da aeronave. Essa prática é utilizada por empresas aéreas de todo o mundo, visando evitar os prejuízos ocasionados pelo passageiro “no-show” (aquele que não se apresentou para embarque) ou, ainda, decorrentes da acomodação de passageiros provenientes de voo anterior cancelado. Essa prática pode provocar o excesso de passageiros.

Embora não seja muito comum no Brasil (vemos várias destas cenas em aeroportos nos Estados Unidos e em outros países, sobretudo antes de grandes feriados ou períodos de festas), é algo que pode acontecer na aviação comercial.

Por que acontece overbooking?

O caso aqui é que várias companhias aéreas costumam projetar um determinado número de passageiros que não irão comparecer ao voo, mesmo com a passagem comprada. Para não ter prejuízos ainda maiores, elas vendem uma quantidade a mais de bilhetes, a fim de lotar o voo.

Infelizmente, podem acontecer erros quando se pratica essa ação, seja por um equívoco no sistema ou mesmo desorganização dos funcionários desta empresa.

Além destes motivos, eventos como alterações nas aeronaves, nos aeroportos ou mesmo mudanças climáticas extremas podem contribuir para esse evento, pois passageiros preferenciais acabam recebendo prioridade na hora da acomodação em outros voos, desalojando aqueles que compraram a passagem e não se enquadram nesses critérios.

Outro ponto que precisa ser avaliado com muita atenção é que, muitas vezes, as companhias aéreas podem retirar passageiros que sejam considerados “em excesso” de um voo. Essa permissão, aliás, é dada pelo próprio passageiro, ao consentir a ação sempre que concorda com os termos e condições de suas passagens.

Tipo de Overbooking

No ramo do turismo há diversos tipos de overbooking:

Overbooking de avião (ou overbooking aéreo), overbooking em cruzeiros, overbooking em shows, overbooking em hotéis, overbooking no teatro.

Em cada um desses casos, a empresa prestadora do serviço, vendeu mais do que poderia entregar, seja, assentos no avião, quartos no cruzeiro, lugares em shows, quartos no hotel, assentos no teatro.

Calcule sua indenização

O que causa o overbooking?

Que o overbooking é extremamente desgastante, isso nós já sabemos. Que o incidente tem o potencial de causar perdas financeiras e grandes prejuízos emocionais também temos conhecimento. Mas você sabe o que, de fato, pode provocar um overbooking? Tem alguma ideia de como proceder ou, ainda, como enxergar um evento do tipo?

Confira abaixo as principais razões que separamos para que esse evento aconteça. Assim você poderá identificar caso esteja vivenciando uma situação que poderá convergir para o caso de um overbooking.

Substituição não programada de aeronaves

Dentre as situações que podem ser apontadas como as campeãs no desencadear de um overbooking está, sem dúvida, a substituição não programada de aeronave.

Esse evento costuma acontecer com muita frequência quando um avião atinge uma determinada quantidade de passageiros e sua decolagem é impedida por motivos técnicos ou operacionais.

Essas razões vão desde um defeito na aeronave que poderá causar um acidente ou mesmo a impeça de decolar ou ainda, alterações no funcionamento dos aeroportos, que deixarão essa aeronave no chão.

Quando isso acontece, o avião costuma ser substituído. O problema surge, no entanto, quando essa substituição é feita por uma aeronave com capacidade inferior àquela onde os passageiros haviam embarcado inicialmente.

Se isso acontecer, a empresa deverá realocar os passageiros impedidos de embarcar na aeronave para que estes possam prosseguir viagem, além de garantir seus traslados no momento em que eles retornarem ao aeroporto para, enfim, concluir suas viagens.

Vendas de passagens acima da quantidade de lugares disponíveis

Outro causador muito comum do overbooking é a venda de passagens acima da quantidade de lugares disponíveis nos aviões, um evento que acontece com mais frequência do que muita gente imagina.

A origem desse problema, muitas, vezes, é dos softwares utilizados pelas companhias áreas para gerenciar a venda de suas passagens. Em geral, esses programas possuem algoritmos que fazem uma estimativa de quantas pessoas devem desistir daquele voo.

Depois de obter esse percentual, o software disponibiliza mais passagens para venda, permitindo que as companhias áreas possam voar com aviões ocupados em sua totalidade.

Mas, como se trata de uma previsão, algumas vezes essa estimativa de não comparecimentos falha, e acabam aparecendo mais passageiros do que o avião comporta.

Atrasos no check-in

Outro fator a que devemos ficar atentos e que podem provocar overselling são os atrasos na hora do check-in. Até mesmo aquele atraso de voo de minutos, que parece inofensivo, pode ter uma consequência muito séria. Acompanhe e evite.

Como é amplamente divulgado por todas as companhias aéreas, para voos domésticos, o check-in deve ser feito com, pelo menos, uma hora de antecedência.

No caso de voos internacionais, esse período aumenta para 120 minutos. Apesar de saber disso, muitas pessoas ainda acabam se atrasando para o check-in, e deixam o processo para a última hora.

Infelizmente, quando isso acontece, a companhia aérea pode colocar outros passageiros no lugar daquela pessoa que se atrasou ou, ainda, acionar a lista de espera e encaixar um desses candidatos àquele assento aparentemente vago.

Desta forma, quando o passageiro atrasado chegar até a aeronave, poderá ser impedido de embarcar. Esse problema atinge proporções ainda maiores quando o número de atrasados impacta na saída da aeronave, já que aparecem muito mais pessoas do que aquele veículo é capaz de transportar em segurança.

Cancelamentos de voos

As mesmas razões que podem fazer um passageiro trocar de aeronave (motivos climáticos ou operacionais) podem levar ao cancelamento de um voo ou de mais rotas, fazendo com que esses passageiros precisem ser realocados para outros voos.

Overbooking

Overbooking

Aqui, o overselling acontece porque quando há cancelamento de voos, a preferência é sempre para embarcar passageiros preferenciais, como idosos, mulheres que estejam amamentando, além de passageiros com crianças de colo.

Isso pode atrasar o embarque de pessoas fora destas condições, causando os prejuízos e perdas que estamos debatendo há um bom tempo neste texto.

Calcule sua indenização

Direitos em caso de overbooking

Durante a alta temporada, principalmente durante as festividades ou em feriados prolongados, é comum, infelizmente, vermos nossos televisores e celulares invadidos com imagens de passageiros lotando aeroportos.

O overbooking costuma ser a razão para esse comportamento na maioria dos casos. E, em algumas vezes, somos surpreendidos com imagens chocantes, como a de passageiros retirados à força de aeronaves com overselling.

Antes de entrar em pânico por pensar que, se você estiver em um voo que apresentar overbooking, você será retirado à força do avião, é importante esclarecermos um ponto fundamental.

No Brasil, as companhias aéreas não podem retirar um passageiro à força de um avião apenas porque o número de pessoas que desejam voar é maior do que a capacidade daquele avião.

Segundo a Anac, um passageiro só pode ser retirado à força de um avião caso seu comportamento ofereça risco aos outros passageiros ou à tripulação ou, ainda, quando a pessoa apresenta mau comportamento.

Por isso, quando o overselling acontece, além de ficar tranquilo por saber que você não será retirado à força do avião, é importante ficar atento aos direitos do passageiro. Veja o bloco abaixo e saiba o que fazer caso se veja nesta situação.

O que diz a ANAC

[block]5[/block], DE 13 DE DEZEMBRO DE 2016 a ANAC rege:

Art. 22. A preterição será configurada quando o transportador deixar de transportar passageiro que se apresentou para embarque no voo originalmente contratado, ressalvados os casos previstos na Resolução nº 280, de 11 de julho de 2013.

Art. 23. Sempre que o número de passageiros para o voo exceder a disponibilidade de assentos na aeronave, o transportador deverá procurar por voluntários para serem reacomodados em outro voo mediante compensação negociada entre o passageiro voluntário e o transportador.

§ 1º A reacomodação dos passageiros voluntários em outro voo mediante a aceitação de compensação não configurará preterição.

§ 2º O transportador poderá condicionar o pagamento das compensações à assinatura de termo de aceitação específico.

Art. 24. No caso de preterição, o transportador deverá, sem prejuízo do previsto no art. 21 desta Resolução, efetuar, imediatamente, o pagamento de compensação financeira ao passageiro, podendo ser por transferência bancária, voucher ou em espécie, no valor de:

I – 250 (duzentos e cinquenta) DES, no caso de voo doméstico;

II – 500 (quinhentos) DES, no caso de voo internacional.

O que é o DES?

O DES, ou Direito Especial de Saque é uma moeda internacional, usada para o ressarcimento dos passageiros e que pode ser convertida pela moeda corrente.

Quanto é 250 DES em Reais? E 500 DES em Reais?

500 DES em Reais

Valor médio do DES em Reais

A cotação do DES varia conforme se vê no gráfico acima. O valor atualizado pode ser verificado no site do Banco Central do Brasil.

Passo a passo para receber indenização em caso de Overbooking

Caso o passageiro ainda se sinta lesado pela companhia aérea, mesmo depois de resolvido o incidente, ele pode ingressar com uma queixa em empresas especializadas (como a Indenizar.com), órgãos de defesa, como o Procon ou, ainda, acionar a Justiça para receber uma indenização por dano moral provocados pelo overbooking.

Para isso, é importante que o passageiro reúna todos os documentos que ajudem a provar que havia reserva de passagem para aquele voo e também o horário em que a pessoa chegou ao aeroporto.

Depois dessa etapa, as duas partes vão para uma audiência de conciliação, onde é proposto um acordo. Caso o passageiro aceite, a ação é extinta. Mas, quando o acordo proposto não é aceito, o caso vai a julgamento, demorando um pouco mais para seja concluído.

No caso dos processos judiciais, ações cujo valor pleiteado seja de até 20 salários mínimos, é possível procurar o juizado especial cível. Nesta instância não é necessária a presença de um advogado.

Para que o processo seja instaurado aqui basta apresentar um pedido, verbal ou por escrito, onde o passageiro conta todos os transtornos e prejuízos sofridos com a ocorrência do overselling, além de anexar todos os documentos que comprovem o fato.

É um direito do passageiro, receber por escrito, sempre que solicitar, documento que comprove atraso, cancelamento, ou preterição de embarque, conforme o Guia do Passageiro.

Se desejar, essa pessoa pode também arrolar testemunhas que deem mais força às suas alegações.

Caso o passageiro que está movendo uma ação pleiteie uma indenização com valores entre 20 e 40 salários, o processo pode ser apresentado no juizado especial cível, contudo será necessária a presença de um advogado.

Já os processos com pedidos acima desse montante devem tramitar nas varas cíveis do Tribunal de Justiça, sempre com a presença de um advogado para participar de todas as sessões.

Passo a passo para receber compensação por danos morais e danos materiais (direitos dos passageiros)

Há uma diferença substancial entre solicitar a compensação financeira com ajuda especializada (como a indenizar) e sozinho por sua conta própria.

Os benefícios de tentar a compensação com ajuda de empresa especializada são:

  • Empresas especializadas tem experiência em diversos tipo de casos, situações, “pegadinhas” jurídicas;
  • Solidez no pedido;
  • Rapidez no pedido;
  • Empresas especializadas conhecem muito bem os direitos em caso de overbooking

Os benefícios de tentar a compensação sem ajuda de empresa especializada, por conta própria são:

  • Você não paga comissão

Passo a passo para conseguir a indenização (Com ajuda especializada)

  1. Entre em contato com uma empresa especializada em direito dos passageiros (como a Indenizar)
  2. Solicite a Declaração da cia aérea confirmando o Overbooking
  3. Envie os documentos que a empresa especializada solicitar
  4. Aguarde entre 1 a 2 meses
  5. Receba sua indenização

Passo a passo para conseguir a indenização (Sem ajuda especializada, por conta própria)

  1. Entre em contato com a cia aérea
  2. Solicite a Declaração da cia aérea confirmando o Overbooking
  3. Faça contatos por email
  4. Entre com uma ação judicial
  5. Vá na audiência para tentar um acordo
  6. Aguarde de 2 a 5 meses
  7. Receba sua indenização

Calcule sua indenização

Negocie e exija seus direitos

Quando o overbooking é anunciado, muitas pessoas, depois do pânico, aceitam a primeira oferta feita pela companhia, para embarcar logo em outro voo e se livrar do inconveniente, mesmo que acabem se arrependendo um tempo depois, por não ter brigado por uma compensação mais justa.

No entanto, alguns especialistas recomendam que o passageiro negocie com a companhia aérea a oferta de algumas melhorias, como o upgrade de classe e assento no voo, a emissão de uma nova passagem, a contabilização de milhas, o recebimento de dinheiro em espécie para compensar a passagem perdida ou, ainda, cupons de compras.

Reservas em hotel

Quando o overbooking compromete conexões ou interfere nas reservas feitas pelos passageiros, é possível pedir à companhia aérea que lhe ajude a remarcar o voos e corrigir sua reserva, informando os problemas causados.

A companhia aérea pode, ainda, oferecer reservas em hotel quando o atraso na partida da aeronave se torna muito grande e os passageiros precisam pernoitar no aeroporto ou mesmo descansar depois da longa espera, sem qualquer ônus para essa pessoa, ficando todas as despesas por conta da área.

Veja esse post para conhecer o overbooking em hotel.

Defesa dos direitos de passageiros em grupo

No caso de viagens em grupo, é importante frisar que os direitos individuais se aplicam a todos, seja uma família, um grupo de amigos ou colegas de trabalho.

Isso quer dizer que a mesma compensação que você receber será entregue aos seus companheiros de viagem.

Realocação de voo

Um ponto que muitos passageiros desconhecem é que as companhias aéreas são obrigadas a pagar o valor da passagem mais cara cobradas por seu concorrente. Então, é possível apresentar essa solicitação quando a passagem for remarcada.

Desta forma, você conseguirá viajar com ainda mais conforto, em uma categoria maior do que a que você havia adquirido inicialmente, sem que seja necessário pagar a mais por isso.

Suporte

É obrigação das companhias aéreas oferecer suporte aos passageiros que estiverem lidando com um overbooking, e esse suporte varia de acordo com o período em que o evento prejudicar esse passageiro.

Quando o atraso é de uma a duas horas, por exemplo, a companhia deve oferecer acesso à internet e ligações telefônicas, para que esse passageiro tome providências para que possa seguir sua viagem.

Em atrasos de duas a quatro horas é necessário o fornecimento de acesso à internet, telefone, alimentação ou dinheiro para que o passageiro se alimente durante esse período.

Agora, quando o atraso no voo supera as quatro horas, a companhia aérea deve também arcar com despesas de deslocamento até um hotel, pagando também os custos de pernoite. O voo deve ser remarcado sem que o passageiro precise pagar a mais por isso.

Como evitar overbooking

Embora pareça inevitável à primeira vista, o overbooking, assim como todos os problemas envolvem meios de transporte, é algo plenamente evitável. Basta tomar os seguintes cuidados.

Faça check-in via internet

Os atrasos nos check-ins são algumas das principais razões para a ocorrência de overselling, já que as companhias aéreas podem repassar para terceiros os assentos dos atrasados.

Então, para que isso não ocorra, é importante utilizar a internet a seu favor. Utilize os aplicativos das companhias aéreas, que não só informam como estão os voos (se estão saindo com atraso ou na hora) e, ainda, realizam check-in.

Além disso, é possível fazer o check-in via internet, ganhando tempo e evitando filas no guichê das companhias aéreas.

Confirme o voo com antecedência

Outro cuidado que pode ajudar a não ter dores de cabeça na hora de voar é confirmar o voo e a reserva com, preferencialmente, um dia de antecedência.

Essa confirmação pode ser feita via site ou call center e ajuda, por exemplo, a descobrir se houve algum cancelamento em seu voo o que, sem esse passo, seria percebido apenas no momento do embarque.

Chegue no horário

A pontualidade é um ponto importante para evitar a ocorrência de overbooking. Por isso, é importante que o passageiro chegue com um tempo adequado de tolerância.

Evite, por exemplo, chegar muito atrasado ou em cima da hora, mesmo que o check-in já tenha sido feito. Isso porque, muitas vezes, as empresas incluem no overselling os passageiros que estão atrasados.

Além disso, elas podem transferir para essa pessoa a causa do problema que gerou o atraso e cobrar dele uma multa como ressarcimento para todos aqueles que tiveram seu voo atrasado.

Acompanhe o horário do seu voo

Ao contrário do que algumas pessoas imaginam, o check-in não é o final de tudo. É preciso acompanhar atentamente o painel do aeroporto para verificar o status do voo. Você também pode ver o horário dos voos .

Utilize também plataformas virtuais como a Infraero voos para saber se há algum atraso em sua companhia área. Se ficar com dúvidas, se informe, mas não deixe para a última hora descobrir que seu voo foi cancelado ou adiado.

Integre programas de fidelidade

Alguns programas de fidelidade podem ajudar os passageiros a não sofrer tanto prejuízos e perdas caso se deparem com um overselling. Isso porque vários desses programas oferecem a possibilidade de que você tenha prioridade na realocação de voos nestas situações.

Permaneça sempre próximo de seu portão de embarque. Esse cuidado é importante porque muitas empresas escolhem os últimos passageiros a embarcar para encaixar no overselling, caso seja preciso tomar essa atitude.

O overbooking, realmente, é algo que causa enorme desgaste e pode ter prejuízos financeiros para um passageiro. É possível, por exemplo, perder passeios, reuniões ou até mesmo oportunidades de negócios por um atraso não programado.

No entanto, é importante que o passageiro também faça a sua parte na prevenção desse evento, seguindo as dicas que trouxemos aqui e que vão te ajudar a não cair nessa armadilha.

Guardar todos os documentos, certidões e contar também com testemunhas podem lhe ajudar a provar o ocorrido e conseguir a tão desejada reparação, embora os recursos não apaguem os transtornos vividos naquele momento.

Porém, é importante saber que o passageiro vítima de overbooking conta com um apoio para que possa se defender e encontrar uma saída para o problema.

Com nossas dicas, você poderá não só saber o que fazer caso se depare com essa situação, como também resolver o problema e conseguir até mesmo uma reparação financeira.

Calcule sua indenização

Overbooking nas Companhias Aéreas

Overbooking na United Airlines

Um dos casos mais emblemáticos da questão do overbooking e de quanto transtorno esse problema traz aos passageiros de companhias aéreas mundo afora é a United Airlines.

Aliás, quando se faz uma pequena busca por United Airlines overselling nos deparamos com a situação em questão. A companhia norte-americana ficou famosa, erroneamente, por se envolver em uma grande confusão.

No episódio em questão, a United Airlines vendeu mais passagens do que existiam assentos em um determinado voo, e ficou sem espaço para que quatro tripulantes pudessem fazer a viagem.

Para conseguir os assentos, a companhia aérea solicitou que voluntários cedessem seus lugares aos tripulantes. Como ninguém aceitou a proposta, foi decidido aleatoriamente quem deveria sair.

Painel da United Airlines solicitando voluntários

Painel da United Airlines solicitando voluntários

Um passageiro, escolhido para deixar o avião, não aceitou a proposta e se recusou a sair. O final da história já sabemos: ele foi arrastado pela polícia para fora da aeronave e a imagem viralizou nas redes sociais, prejudicando a imagem da empresa.

Charges e memes do caso se espalharam pela internet, como esse abaixo:

Overbooking da United Airlines

Charge do caso de Overbooking da United Airlines

O incidente acendeu um sinal amarelo e deixou quem viaja com frequência bastante preocupado. Afinal, se eu me negar a sair serei retirado a força? Há chances de que aconteça isso aqui no Brasil?

A resposta é não. Embora tenha sido chocante, isso dificilmente aconteceria em nosso país. O Brasil tem uma legislação bastante séria em aviação, exatamente para coibir cenas de abuso como as que vimos na internet e na televisão.

Além disso, a United Airlines investiu em tecnologia para minimizar os transtornos dos passageiros em caso de overbooking, afinal problemas mecânicos e mudanças climáticas podem acontecer e atrasar ou mesmo impedir um voo de decolar.

Nestes casos, a companhia utiliza uma plataforma que envia aos passageiros dos voos com problema de lotação um e-mail, propondo que esta pessoa flexibilize sua viagem.

A ideia é oferecer ao passageiro a alternativa prévia de trocar de voo antes mesmo de chegar ao aeroporto, evitando desgastes e transtornos como o que vimos anteriormente.

Overbooking na American Airlines

A mesma preocupação com o bem-estar dos passageiros e o dano de imagem que uma situação como a do passageiro da United Airline fez com a American Airlines mudasse sua política em caso de overselling.

Agora, se você se deparar com uma situação de American Overbooking, pode respirar aliviado. Você não será retirado à força do avião ou muito menos terá de ceder o seu lugar para que outra pessoa possa embarcar.

Em caso de overselling, a American impedirá os passageiros de embarcar, avisando que o voo está lotado no momento do check-in, evitando assim desgastes desnecessários.

Contudo, antes de impedir uma pessoa de embarcar, a empresa avaliará outras questões, como o valor pago pelo bilhete e o status desse passageiro com a companhia.

O que isso significa? Que um passageiro de prestígio, que costuma fazer muitos voos com a American Airlines dificilmente ficará sem viajar. Ou seja, sempre terá um lugarzinho reservado para ele.

Agora, falemos daqueles que precisam ser realocados, pois não há como embarcar para os destinos onde compraram suas passagens. No caso destes, haverá uma compensação financeira, que varia de acordo com o destino e tempo de atraso.

Por exemplo, no caso de viagens internacionais com partidas dos Estados Unidos, o passageiro que for reacomodado em outro voo e a aeronave atrasar em uma hora, não haverá compensação financeira.

Em caso de o atraso durar até quatro horas, será pago um valor de US$ 675. Agora, se o voo atrasar mais de quatro horas, esse passageiro terá direito a receber o valor de US$ 1.350 como compensação financeira.

Para os voos domésticos, dentro dos Estados Unidos, a regra é a mesma. Para atrasos de até uma hora, não há compensação financeira. Quando a partida atrasa em até duas horas, será pago um valor de US$ 675, e para partidas com mais de duas horas de atraso, a compensação será de até US$ 1.350.

Overbooking Resolução Anac

Segundo a resolução da Anac, o passageiro que se deparar com tal situação deve adotar algumas posturas antes de decidir brigar por seus direitos na Justiça.

O primeiro passo quando se tem o embarque negado por excesso de lotação ou outros problemas, é buscar uma pessoa que, voluntariamente, aceite ceder o seu lugar no voo para que esse passageiro possa embarcar.

Os voluntários que aceitam ceder seus lugares recebem contrapartidas favoráveis, tornando a decisão menos prejudicial para eles. No entanto, mesmo assim, algumas pessoas podem não aceitar ceder seu lugar a outro que está com dificuldades para embarcar.

Caso isso aconteça, a Agência Nacional de Aviação Civil informa que o passageiro cujo embarque foi negado tem direito a receber, imediatamente, uma compensação financeira pelo transtorno.

Essa compensação será de 250 DES (aproximadamente R$ 1.300,00) para voos domésticos e de 500 DES (aproximadamente R$ 2.600,00) para os destinos internacionais.

A agência informa ainda que, além desta compensação financeira, as companhias aéreas devem oferecer outros serviços aos passageiros que não puderam embarcar.

Por exemplo, ele deve ter direito a alternativas de reacomodação em outro voo da própria empresa ou de outra companhia que faça o mesmo trajeto, reembolso do valor total pago pela passagem, em até sete dias e assistência material, caso necessário.

Embora seja uma situação extremamente estressante, o passageiro não está desprotegido. No entanto, é preciso ter documentos que comprovem o incidente. Além disso, a recomendação é procurar se informar antes de chegar ao aeroporto.

Ligar para a companhia aérea, para chegar o status do voo ajuda a evitar dores de cabeça, especialmente em destinos onde a ocorrência de chuvas e tempestades é frequente.

É importante também chegar ao aeroporto com bastante antecedência, pois os últimos passageiros que costumam fazer o check-in são os que, normalmente, não podem embarcar em caso de overbooking.

Números e estatísticas de Overbooking no Brasil

Embora, como dissemos, o overbooking não seja algo comum na realidade dos brasileiros que frequentam aeroportos seja para lazer ou a trabalho, o incidente é algo que precisa ser acompanhado de perto.

Segundo o último levantamento, divulgado pela Anac (Agência Nacional de Aviação Civil), entidade responsável por regulamentar o funcionamento do sistema aeroportuário no país, foram cancelados cerca de 9% dos voos realizados, um total de pouco mais de 72 mil, frente a um universo total de mais de 768 mil partidas, nacionais e internacionais.

Além desses cancelamentos, 4% dos voos atrasaram em mais de uma hora, um total de mais de 33 mil. Embora não sejam números tão expressivos frente aos 60% de voos que saem no horário definido no bilhete de embarque, esses dados são algo a que devemos ficar atentos, considerando o prejuízo que o overbooking causa aos passageiros vítimas do incidente.

Caso tenha tido problemas e precise de ajuda para conseguir sua indenização, entre em contato conosco.

Overbooking é ilegal

A prática de overbooking, conforme você pode ver nessa entrevista é sistematizada. Há softwares que ajudam as cias aéreas a decidir como vender mais passagens do que assentos.

A justiça brasileira também já deixou claro que trata-de de uma prática abusiva. Veja o que disse o desembargador Rizzatto Nunes. Por esse motivo, é dever da empresa aérea indenizar os passageiros lesados.

Não deixe de ver o post sobre Atraso de voo e também sobre Voo Cancelado.

Calcule sua indenização

O post Overbooking apareceu primeiro em Indenizar.

Planejando viagem ao exterior

7 Coisas Básicas Que Você Precisa Fazer Antes de Uma Viagem Para o Exterior

Tenha em mente o seguinte: uma boa viagem é o resultado de um bom planejamento. Isso se aplica a qualquer viagem que você faça, especialmente quando você está indo para um país estrangeiro. 

E, além do planejamento que qualquer viagem exige – hospedagem, restaurantes, atividades etc. – as viagens internacionais exigem etapas e pesquisas extras para garantir uma experiência sem estresse. 

Felizmente, neste artigo você irá conferir as coisas mais importantes para se fazer antes de viajar e que te ajudarão a tornar sua próxima viagem para fora do Brasil um sucesso!

1) Verifique seu passaporte e solicite o visto (se necessário)

Embora não seja necessário memorizar a data de validade do seu passaporte, é melhor dar uma olhada nele – e verificar se você sabe onde o seu passaporte está armazenado – antes de fazer planos de viagem internacionais. 

De um modo geral, seu passaporte precisa ser válido por pelo menos seis meses após a entrada em um país estrangeiro.Se a data de vencimento estiver próxima, você precisará renovar seu passaporte antes de sua próxima viagem ao exterior.

E embora não seja um requisito universal, são necessários vistos de turista para visitar muitas nações ao redor do mundo, e o processo de solicitação varia muito de país para país. 

É importante observar que a solicitação de um visto pode ser cara e bastante demorada, por isso é melhor resolver essa questão o mais rápido possível.

2) Faça cópias do seu passaporte e dos seus documentos

Se o seu passaporte for roubado ou você perder algum de seus documentos enquanto viaja, você quer ter certeza de que ainda pode voltar ao seu país e provar sua nacionalidade, não é verdade? Por isso, tenha cópias de todos seus documentos, tanto fisicamente, quanto em ambiente digital, como em um e-mail, por exemplo.

3) Atente-se a questões de vacinação e medicamentos

Dependendo de onde você está indo, pode ser necessário tomar vacinas ou medicamentos especiais como precaução contra várias doenças. Além disso, se você costuma tomar algum medicamento prescrito, certifique-se de ter o suficiente para cobrir a duração de suas viagens,

4) Verifique o clima do destino no período que você vai viajar

Com o avanço das tecnologias, agora você pode ver a previsão com pelo menos 10 dias de antecedência. Sendo assim, faça isso e possivelmente você não terá problemas para fazer as malas para a sua viagem.

Dessa forma, você pode decidir se serão necessárias roupas mais frescas, como regatas e shorts, ou agasalhos, blusas e luvas.

5) Verifique suas reservas

Planejar com antecedência é quase sempre uma boa ideia, especialmente se você estiver viajando na alta temporada. 

Por isso, faça reservas para acomodações, principais atrações, restaurantes populares e também se você mora em São Paulo, é importante reservar uma vaga em um estacionamento próximo aeroporto Guarulhos para deixar seu carro enquanto viaja.

E claro, assim como o passaporte e seus documentos faça cópias impressas das suas reservas, confirmações e bilhetes à sua lista de verificação de viagens ao exterior. Isso tornará sua vida muito mais fácil quando você chegar ao seu destino, especialmente se você pagou por algo antecipadamente.

6) Contrate um seguro viagem

Primeiro, verifique se o seu cartão de crédito já vêm com seguro de viagem. Caso contrário, você deve comprar um. Certifique-se de que o seguro cobre despesas médicas e jurídicas, roubo e roubo, bagagem perdida e voos perdidos ou cancelados.

7) Estude o destino

Ter alguma fonte de conhecimento sobre seu destino é essencial (internet, aplicativos, livros…). Sendo assim, leia sobre a região para a qual você está viajando com antecedência para obter informações importantes, como taxas de câmbio, frases úteis, normas de gorjeta, roupas mais apropriadas e costumes. 

É melhor estar preparado para não cair em uma situação comprometedora, não é 

O que fazer no Guarujá

O que fazer em Guarujá?

“Fim de semana chegando, bora pro Guarujá?!” A proximidade com a capital, faz com que o destino no litoral seja um dos preferidos dos universitários e jovens adultos que desejam dar aquele mergulho no mar. Quem nunca foi ao Guarujá precisa urgente colocar a cidade no seu roteiro. É logo ali, prepare a mochila!

Guarujá, conhecida com a pérola do atlântico, faz parte dos 15 municípios paulistas considerados estâncias balneárias. A cidade é um dos destinos mais procurados pelos moradores da capital paulista por causa da sua proximidade, são cerca de 90 kms de distância, o que a faz ideal para aquele bate volta de final de semana. Mas o que fazer em Guarujá? Calma, vamos te explicar!

Lá o turista encontrará 22 kms de litoral, com 27 praias e muitas belezas naturais. A cidade possui uma excelente rede hoteleira bem interessante com opções para todos os bolsos, mas também oferece pousadas, camping e até diversas oportunidades no Airbnb para quem quer uma hospedagem mais econômica.

Com uma infraestrutura completa e muitos pontos turísticos, Guarujá atrai turistas de todos os cantos o ano inteiro.

O destino é perfeito para aquela viagem em família, para quem gosta de se aventurar sozinho ou ainda pegar aquela onda. Badalação ou sossego? Guarujá consegue atender o seu desejo.

Ainda não conhece a Pérola do Atlântico? Que tal se aventurar nesse paraíso paulista.

Curiosidades sobre Guarujá

Localizada na microrregião de Santos, na Ilha de Santo Amaro, Guarujá é a terceira cidade mais populosa do litoral. É composta pela sede e pelo distrito de Vicente de Carvalho.

Existem duas rotas para chegar à cidade: a primeira é feita por balsas, a famosa travessia Santos-Guarujá, que sai da Ponta da Praia em Santos, já o outro acesso é possível pela rodovia Cônego Domênico Rangoni, que liga a Ponte do Monte Cabrão, no canal de Bertioga.

Guarujá é um paraíso que conta com praias urbanizadas para aqueles que não abrem mão de uma boa infraestrutura, mas também tem algumas opções mais desertas e selvagens, acessíveis apenas por trilhas ou embarcações para os mais aventureiros.

Além do litoral, a cidade tem belas construções históricas, trilhas de ecoturismo, pesca artesanal, áquario e uma variedade de bares e restaurantes. Atrações para agradar a todo tipo de viajante.

O que fazer em Guarujá?

Se você já decidiu quantos dias vai ficar nesse paraíso repleto de atrações, agora é hora de montar o seu roteiro. Continue conosco, te daremos dicas de praias, passeios e muita diversão.

Para você definir o que fazer em Guarujá, primeiro vale avaliar as 27 opções de praias que este destino te oferece. Abaixo vamos destacar as mais procuradas pelos turistas. Vale lembrar que se a sua viagem for durante a alta temporada, alguma dessas preciosidades ficam lotadas e outras inadequadas para banhos. Fique atento!

Praia das Astúrias

Essa é a preferida de todos e fica situada a 2km do centro da cidade, é uma ótima opção para quem viaja em família e gosta de conforto. A praia das Astúrias conta com uma boa infraestrutura, possui areia clarinha e mar calmo.

Se você gosta de caminhar, Astúrias tem um belo calçadão, excelente para exercícios pela manhã ou fim do dia, ideal também para aquela voltinha a noite, já que no seu entorno há ótimos bares e restaurantes.

Praia do Tombo

Localizada há 3 kms do centro da cidade, essa é uma praia urbanizada, com boa infraestrutura e famosa por sediar campeonatos de surfe. A praia do Tombo reúne jovens aventureiros e famílias. Ela tem um mar um pouco agitado e ondas grandes, porém, oferece uma larga faixa de areia e tem uma beira-mar com águas tranquilas, ideal para crianças. Essa combinação atrai um público bem variado.

Praia de Pitangueiras

Praia de Pitangueiras, é a mais central do Guarujá, e por esse motivo acaba sendo um dos pontos de passagem para todo visitante.

Durante o verão, a praia está sempre lotada, suas águas agitadas atraem muitos praticantes de esportes aquáticos. Um ponto negativo é que ela recebe sombra dos edifícios durante a tarde, mas nada que atrapalhe suas férias.

A vida noturna em Pitangueiras é bem badalada, seu entorno está repleto de bares, restaurantes e hotéis. Ideal para quem quer paquerar.

Praia de Pernambuco e Mar Casado

Nos fundos do famoso hotel Jequitimar estão localizadas as praias de Pernambuco e Mar Casado, com boa opção de estacionamento nas ruas da vizinhança. Na época de lua cheia, com a maré alta, a praia de Pernambuco é tomada por surfistas da região e da capital que aproveitam as gigantes ondas para a prática esportiva. Já o Mar Casado (nome da ilha local), cria uma grande piscina que é ideal para quem prefere curtir um mar mais calmo.

Se você optar por alguma dessas duas, o ideal é que leve sua bebida e sua refeição, já que a infraestrutura local é mais precária e a região conta com poucas opções de restaurantes. O acesso ao local é muito fácil, as ruas terminam já na areia.

Praia Branca

É uma das praias mais isoladas de Guarujá, é rústica, arborizada, tem um mar agitado (dependendo da maré) e águas claras. Praia Branca é ideal para quem busca tranquilidade.

No local tem alguns campings, vila de pescadores, pousadas rústicas e um bar pé na areia com som de reggae. É um destino muito frequentado por surfistas.

Para chegar à praia Branca é necessário percorrer uma trilha de calçamento de pedras (entrada ao lado da balsa de Bertioga) ou ir de barco.

Praia Preta

Localizada próxima à praia Branca, é uma das boas opções para quem quer fugir do agito, sendo quase deserta e cercada por costões. Esta praia tem aproximadamente 200 metros de extensão, é bem pequenina.

A trilha de acesso é a mesma da praia Branca, ao lado da balsa para Bertioga. Passando pela primeira praia, o visitante precisa percorrer ainda mais uns 15 minutos de caminhada para chegar a esse paraíso, ao pé do morro, com águas tranquilas.

Praia de Camburi

Se você gosta de uma boa trilha e praia deserta, Camburi é o seu destino. Isolada, rústica e cercada pela Mata Atlântica e conta com um pequeno rio, formado por uma nascente no alto da floresta que deságua no mar. No rio tem um lago, bom para banho e relaxar.

O acesso se dá por uma trilha de 20 minutos a partir da Praia Preta ou de barco.

Praia do Guaiúba

Localizada a quatro quilômetros do centro do Guarujá, a Praia do Guaiúba é pequena, fica um pouco escondida, o que a torna mais tranquila. Com águas claras e uma belíssima paisagem, ela é ideal para quem deseja nadar, praticar mergulho ou snorkel.

Praia do Perequê

Famosa por seu frutos do mar e pela excelente gastronomia, Perequê também atrai os visitantes pela sua tranquilidade e bela paisagem. Infelizmente, por causa do excesso de barcos na região, a água nem sempre é indicada para banho.

Ao lado da praia tem um rio que deságua no mar, o Rio do Peixe, que agrega um charme ao lugar.

Perequê é também um ótimo lugar para comprar peixes e frutos do mar fresquinhos.

Praia da Enseada

Esse é considerado o destino com a melhor infraestrutura turística do Guarujá e conta com águas claras. A Enseada possui a maior extensão, com uma praia de cerca de sete quilômetros de faixa de areia, que também é bastante larga entre o calçadão e o mar.

A orla urbanizada, conta com vários quiosques e uma boa opção de ciclovia. Lá também tem boas opções de restaurantes para uma refeição mais completa.

Praia de São Pedro

Paraíso em meio a Mata Atlântica, a praia de São Pedro fica na Serra do Guararu, tem areia branca e águas cristalinas, com acesso limitado. Para manter a sua preservação, o número de visitantes é restrito, não é permitido vendedores ambulantes ou comércio. A dica lá é, se você levar algo e produzir algum lixo, recolha ao ir para casa.

A praia tem dois acessos, um pelo sul no condomínio Tijucopava e o outro ao norte pelo condomínio São Pedro, a entrada é gratuita. Se deseja conhecer esse paraíso, acorde cedo e leve comida e bebida. E não se esqueça de fazer a sua limpeza ao final!

Se você não sabia o que fazer em Guarujá, aqui teve a oportunidade de ver uma lista completa com as melhores opções de praia para todos os estilos.

Caso prefira um roteiro mais exclusivo e viver uma experiência incrível, poderá alugar um barco com piloto no Guarujá e aproveitar praias desertas e de difícil acesso por terra. Essa opção é ideal para quem for viajar com alguns poucos amigos para celebrar um aniversário, para fazer mergulho ou mesmo para relaxar em locais mais afastado e com total privacidade 🙂

Boletim de qualidade dos serviços aéreos – Anac 2018

Anualmente, a Agência Nacional de Aviação Civil, a Anac, elabora um boletim que funciona como um termômetro para a qualidade dos serviços prestados pelas companhias aéreas que operam voos nacionais e internacionais.

Segundo o documento mais recente, divulgado no início deste ano, em 2018 foram transportados em todo o Brasil 117.636.919 passageiros pagando passagens.

No mesmo período, por sua vez, 27.119 pessoas prestaram algum tipo de reclamação contra as companhias aéreas via internet, na plataforma Consumidor.gov.br.

Boletim da Anac

Boletim da Anac

Problemas

Dentre as principais queixas relatadas pelos consumidores no ano passado, estiveram problemas com oferta e compra, alteração pelo passageiro, alteração pela empresa aérea, check-in e embarque, execução do voo, transporte de bagagem, reembolso, reclamações contra valores e regras do contrato, assistência prestada e programas de fidelidade, dentre outras reclamações.

Maior número de passageiros transportados

Segundo a Anac, em 2018, a maior parte dos brasileiros viajou pela Latam Airlines, seguida pela Gol Linhas Aéreas e Avianca. Lembrando que esta companhia entrou em recuperação judicial e seus números podem ser revistos no próximo boletim.

Reclamações

Quando avaliamos a quantidade de reclamações recebidas no Consumidor.gov.br, a campeão de queixas é a Azul Linhas Aéreas, com quase quatro mil reclamações no período de um ano.

Em seguida está a Gol Linhas Aéreas, com mais de 5 mil queixas. Embora você deva estar se perguntando como a Gol pode estar em segundo lugar, se possui mais reclamações, certo?

A resposta aqui é que as companhias aéreas empatam em alguns indicadores, mas possuem alguns, como os de passagens vendidas que colocam a Azul à frente da Gol, em um ranking que empresa nenhuma gostaria de aparecer.

A Avianca, por conta de seus problemas para operar, já aparece em terceiro lugar, com 2.546 queixas. Embora seu universo total de passageiros atendidos fosse pequeno, vale dizer que esse é um percentual a se considerar.

Temas das queixas

Segundo a Anac, a forma como o voo foi executado lidera as reclamações recebidas nesta plataforma, queixa que atende todas as empresas, nacionais e estrangeiras.

O segundo tema mais reclamado são os valores cobrados e as regras de contrato, o que pode ser explicado pelo grande transporte de passageiros, sobretudo em datas comemorativas, como Natal e Ano Novo, feriados ou férias.

A oferta e compra foi outro tema que ficou no holofote dos consumidores. Seja porque aquela oferta na internet foi boa demais para ser verdade, e não durou, ou porque a forma de compra foi considerada complicada demais ou mesmo muito difícil para alguns dos compradores, principalmente os mais velhos.

Afinal, como se sabe, a maior parte das passagens aéreas vendidas nos dias de hoje é feita via internet, seja dentro do site da companhia aérea ou da empresa que está organizando um passeio, por exemplo.

Bagagem

Com uma legislação que alterou recentemente as regras do transporte e despacho de bagagens nos aeroportos, o tema segue firme e forte no ranking de reclamações da Anac.

Apesar do longo período em que está em vigor, ainda tem muitos passageiros que não compreendem essa lei, razão pela qual o tema deve permanecer no topo da lista das aéreas.

Estrangeiros

As companhias aéreas estrangeiras também estão entre as mais reclamadas desse relatório. Mas, ao contrário da amostra como um todo, existem algumas peculiaridades nas queixas dos passageiros.

Por exemplo, os passageiros destas empresas costumam se queixar, com muita frequência, do transporte de bagagem. As razões para isso são muitas, indo desde as taxas cobradas até mesmo o risco de extravio de bagagem.

Como se sabe, as companhias aéreas que perdem as malas de um passageiro precisam, inicialmente, achar a bagagem. E, se não encontrar, devem reembolsar o passageiro, por valor semelhante ao que valia sua mala.

No entanto, o reembolso está entre as queixas mais sofridas. Mas, aqui, é importante destacar que esse reembolso muitas vezes se refere a passagens cobradas indevidamente, voos atrasados ou cancelados.

Mas, se formos considerar a ordem do ranking, depois da bagagem, a execução do voo é o que costuma estressar muito as pessoas. Alterações feitas pela empresa também representam uma grande dor de cabeça.

Aqui vale destacar, por exemplo, a troca de avião em caso de pane, falha de combustível ou mesmo atraso nos voos, fatores que causam transtornos e podem, em alguns casos, fazer com que o passageiro perca sua conexão.

Nacionais

Quando olhamos para os passageiros transportados por empresas nacionais, o que podemos perceber é que a principal queixa registrada é em relação aos valores e regras de contrato firmadas pelas empresas com os passageiros.

A oferta e compra vem sem seguida, puxando as reclamações. Promoções que não estão suficientemente claras e podem deixar margem a dúvidas ou causar prejuízos são razões que justificam esse crescimento.

Completando o pódio das reclamações contra as empresas brasileiras estão a execução do voo. Seja porque a tripulação tem um tratamento ou treinamento que deixa a desejar, pessoas que se sentiram mal tratadas ou mesmo problemas no voo. Tudo isso contribui para elevar esse ranking.

Tempo médio de respostas

O boletim da Anac mediu também o tempo médio que as empresas levaram para responder às reclamações dos passageiros.

A empresa que ocupou o primeiro lugar da lista, com a resposta e resolução das questões mais rápida foi a Azul Linhas Aéreas, que resolveu tudo em 2,8 dias.

Em segundo lugar está a MAP Linhas Aéreas, uma empresa regional e que levou 3,3 dias para resolver os problemas. Em terceiro lugar aparece a Gol Linhas Aéreas, com 5,7 dias para fornecer um parecer ao passageiro.

Agora, se destacamos as empresas mais rápidas, precisamos também citar as mais lentas. Em último lugar está a Avianca, com 8,6 dias para resolver os problemas dos passageiros ou lhe dar uma explicação sobre o que aconteceu.

Em penúltimo lugar está a Iberia Lineas Aereas, que demorou 8,4 dias para colocar um fim nas questões e dar um atendimento de qualidade a seus passageiros.

Com esse raio-x podemos perceber que os passageiros estão atentos a seus direitos e deveres, enquanto as empresas vem tentando melhorar sua imagem.

O post Boletim de qualidade dos serviços aéreos – Anac 2018 apareceu primeiro em Indenizar.

Voos cancelados hoje

Muitas vezes, precisamos saber se teremos um voo cancelado hoje, para nos precaver de uma ida desnecessária ao Aeroporto. Mas como saber isso? Esse post irá te ajudar a saber as melhores formas de ver os voos cancelados hoje.

Como saber os voos cancelados hoje: usando a Infraero

A primeira forma de ver os voos cancelados hoje é pelo site de Infraero. Acesse diretamente a página de consulta de voos online

Nessa página você poderá filtrar pelos aeroportos, companhia aérea e aeroportos e descobrir a situação de cada voo em vários aeroportos.

Infraero Voos Online

Como saber os voos cancelados hoje: usando o telefone

Você pode ligar para cada uma das cias aéreas do Brasil e perguntar o status do voo através do telefone das empresas aéreas. Veja os telefone nesses posts:

Com o telefone em mãos, basta solicitar que lhe informe o status do voo.

Como saber os voos cancelados hoje: usando outros sites de status de voo

A indenizar, preocupada com o status de voos de seus clientes, também criou uma página para ver horário de chegada de voos. Nessa página, você conseguirá acessar o horário de voo dos 10 maiores aeroportos do Brasil.

O post Voos cancelados hoje apareceu primeiro em Indenizar.

Voo cancelado – direito dos passageiros

Depois de anos se programando e economizando, você finalmente conseguiu comprar aquele pacote com que tanto sonhou. Hospedagem, passeios e passagens de avião. Tudo incluso. 

Mas, de repente, o que parecia um sonho se transforma em um enorme pesadelo. Chegando ao aeroporto, depois de horas de um vai e vem interminável, você é informado que o seu voo está cancelado. 

Assim, em um piscar de olhos, todo o seu planejamento vai para o espaço. Sua hospedagem, seus passeios, sua programação, tudo é sumariamente interrompido, já que um novo voo seria liberado apenas dali a um dia. 

Embora hipotética, essa situação é muito comum na vida de milhares de passageiros. Todos os dias são muitas as pessoas que enfrentam os contratempos de um voo cancelado, seja ele a passeio ou a trabalho. 

Quando esse tipo de situação acontece, o que fazer? Quais os direitos dos passageiros quando se veem diante desse tipo de acontecimento? Para ajudar aqueles que estão passando por isso, preparamos um texto com as informações que você precisa. 

O que pode levar a companhia aérea a cancelar meu voo?

Por se tratar de um evento extremo, existem alguns fatores específicos que podem levar ao cancelamento de um voo. Confira abaixo as razões que contribuem para que isso aconteça. 

Condições climáticas

Chuvas, temporais, nevoeiros ou ventos fortes são as principais razões para que voos sejam cancelados em todo o mundo. Atualmente as aeronaves são equipadas com aparelhos ultramodernos, que conseguem contornar essas situações. 

No entanto, quando se tratam de eventos extremos, as empresas podem optar pelo cancelamento, para proteger a vida dos passageiros. Em alguns casos, os voos podem ser interrompidos por dias. É o que acontece em regiões sujeitas à ocorrência de nevascas. 

Baixa ocupação

Quando um voo tem uma venda de passagens muito baixa, de menos de 30%, a companhia aérea pode optar pelo cancelamento, pois a quantidade de passagens vendidas não cobre os custos de operação da aeronave para aquela ocasião. 

Overbooking

Para a maior parte das companhias aéreas, a prática de vender mais passagens do que a aeronave realmente comporta é algo comum, mas em uma escala reduzida. 

As empresas, aqui, adotam cálculos automatizados feitos a partir da média de passageiros que não embarcam, evitando assim que o avião tenha menos assentos vendidos do que o esperado. 

Contudo, quando outras situações aumentam o número de passageiros acima do esperado de uma hora para outra, como problemas técnicos em um avião ou o cancelamento de outros voos, o overbooking pode acontecer, afetando esse embarque. 

Passageiros não localizados

Pessoas que fazem check-in, despacham suas malas e pegam o cartão de embarque mas, por alguma razão, não entram no avião, podem causar o cancelamento daquele voo, já que as regras da aviação proíbem que uma mala viaje desacompanhada. 

Excesso de tráfego aéreo

Em 30 anos, o número de aviões circulando pelos céus de todo o mundo deu um salto em seis vezes, número que segue crescendo em ritmo avançado. Por conta disso, o congestionamento na malha aérea vem se tornando cada vez mais comum. 

Quando isso acontece, todos os voos que cruzam aquela rota em questão acabam afetados. Algumas vezes, o congestionamento provoca apenas um atraso na partida e chegada das aeronaves. 

Em outros, por outro lado, a confusão com muitos aviões na mesma rota é tamanha que a companhia aérea pode optar por cancelar aquele voo até que a situação se normalize. 

Problemas com radares

Os radares aéreos tem um papel fundamental na segurança dos voos, já que são eles quem fornecem as informações necessárias para evitar que dois aviões entrem em rota de colisão durante o voo. 

Por isso, quando esses equipamentos estão com seu funcionamento prejudicado, os controladores de voo podem alterar ou mesmo cancelar a programação de um determinado voo, por questões de segurança. 

Problemas nos aviões

Problemas técnicos nos aviões, não identificados em manutenções preventivas ou que apareçam de forma repentina, antes da decolagem, podem levar a companhia aérea a optar pelo cancelamento daquele voo. 

O cancelamento pode acontecer, também, caso sejam detectados problemas que comprometam a segurança daquele voo. 

Problemas na troca da tripulação

Segundo as normas internacionais, os pilotos, assistentes e comissários de voo devem estar 100% atentos a seu trabalho e prontos para agir em caso de necessidade. 

Por isso, esses profissionais não podem trabalhar por mais de 11 horas seguidas, fazendo com que a equipe precise ser substituída periodicamente. 

Cientes dessa regra, as companhias áreas deixam equipes de sobreaviso, para que a troca seja feita. Contudo, algumas vezes a substituição não pode ser feita a tempo da decolagem, levando assim ao cancelamento do voo, já que a equipe que já superou sua escala de trabalho é proibida de embarcar. 

O que fazer se meu voo for cancelado?

Caso ocorra algumas destas situações e seu voo for cancelado, a orientação é de que o passageiro siga o seguinte passo a passo, para resolver a situação rapidamente e com o mínimo de transtornos possíveis. 

O primeiro passo em caso de cancelamento de voo é procurar o atendente da companhia aérea no check-in ou em áreas perto do portão de embarque, informar o ocorrido e solicitar assistência. 

Em seguida, é necessário verificar, no painel do aeroporto ou via internet, se a solução proposta realmente atende suas necessidades da melhor forma possível. 

Em caso negativo, a orientação é pleitear, junto a empresa, uma solução que lhe beneficie. 

Negativas

Algumas vezes, a companhia aérea pode se negar a resolver o problema, seja porque entendeu que a solução oferecida é a que deveria lhe atender ou por não ter uma proposta benéfica ao passageiro. 

Quando isso acontece, a orientação é de que o passageiro procure o escritório da Anac (Agência Nacional de Aviação Civil) ou o Juizado Especial Cível do aeroporto, para formalizar sua reclamação. 

O passageiro deve, também, tirar fotos do painel, do cartão de embarque e registrar tudo o possível como provas, para que possa recuperar seus direitos, caso estes não sejam respeitados pela companhia aérea ingressando, por exemplo, com uma ação. 

Quais os meus direitos em caso de cancelamento?

Segundo a lei, quando um voo é cancelado, o passageiro tem o direito de decidir qual é a melhor opção de acomodação, não sendo obrigado a aceitar a primeira proposta feita pela empresa aérea. 

Além disso, em caso de cancelamento, o passageiro tem direito a reembolso integral, incluindo a taxa de embarque; remarcar o voo para a data e horário de sua conveniência, sem custo ou embarcar no próximo voo da mesma empresa, para o mesmo destino, caso haja disponibilidade. 

A legislação garante, também, o direito a embarcar no próximo voo de outra empresa aérea, caso haja disponibilidade de lugares, para o mesmo destino e acomodação ou hospedagem e transporte do aeroporto ao local de acomodação (se estiver em local onde reside, a empresa deve oferecer o transporte até a casa do passageiro). 

É possível, ainda, concluir a viagem por outro tipo de transporte, como ônibus, van ou táxi, por exemplo, quando o passageiro está em trânsito ou próximo ao aeroporto de destino. 

O post Voo cancelado – direito dos passageiros apareceu primeiro em Indenizar.

Overbooking é prática ilegal e gera indenização por danos morais e materiais

Imagine conseguir finalmente se programar para a viagem dos sonhos. Roteiro da viagem, hospedagem, transporte, tudo está pronto e a animação está a mil. Até chegar ao aeroporto

Chegando lá, você se depara com uma cena digna de filme de terror. Pessoas deitadas no chão, brigando, guichês da companhia aérea lotados com passageiros revoltados e querendo uma solução para o seu problema. 

O que está acontecendo? O temido overbooking. Muitos passageiros, que tem o costume de viajar com regularidade já enfrentaram essa situação. Mesmo entre esse público, o overbooking é estressante. 

Você está passando por isso ou já passou e, na ocasião, não sabia o que fazer? Confira no texto que preparamos algumas orientações que vão lhe ajudar neste caso. 

O que é o overbooking?

Conhecido também como preterição de embarque, o overbooking ocorre quando uma empresa aérea vende mais passagens do que a quantidade de assentos existentes na aeronave. 

Quando isso acontece, o passageiro simplesmente é impedido de embarcar, pois não há lugar para ele no avião. Além de causar enormes transtornos emocionais, o overbooking causa prejuízos financeiros aos passageiros que precisam lidar com essa situação. 

Overbooking

Overbooking

O que pode causar o overbooking?

Algumas situações tem maior potencial para provocar o overbooking. Por isso, é importante não só conhecê-las, como também ficar atento caso perceba o indício de quaisquer dos cenários que descrevemos abaixo. 

Passageiros que perderam as conexões

Quando um voo de conexão atrasa e esse passageiro original perde o seu voo, as companhias aéreas podem optar por colocar esse viajante atrasado em outro avião que vá para o mesmo destino da conexão. 

Quando isso acontece, todo o equilíbrio é afetado, já que as empresas podem colocar esse passageiro que perdeu a conexão no lugar que já estava vendido para outra pessoa, gerando assim o overbooking. 

Overbooking

Overbooking

Cancelamento ou junção de voos

Quando voos são cancelados, seja por questões climáticas ou operacionais, o overbooking tem grandes chances de acontecer, porque as empresas aéreas precisam, por lei, reacomodar esses passageiros. 

Nestes casos, costuma ser priorizado o embarque de idosos, lactantes e pessoas com crianças de colo, podendo ser colocados em voos que já estavam com todas as suas passagens vendidas, causando assim o overbooking. 

Troca de aeronave

Algumas vezes, problemas técnicos obrigam as companhias aéreas a substituir aeronaves que estavam prontas para decolar por outras. Nesse momento, a troca pode ser feita por aviões menores, com menor capacidade para passageiros. 

Quando isso acontece, os passageiros provenientes daquela primeira aeronave acabam sofrendo com o overbooking, pois não conseguem embarcar no voo para o qual compraram passagens porque o avião é menor do que o número de pessoas ali. 

Venda de mais assentos do que o avião comporta

Todas as empresas aéreas lidam com uma porcentagem de não comparecimento de passageiros, o chamado no-show

Por isso, elas costumam trabalhar com essa margem de segurança na hora da venda de bilhetes. Ou seja, elas comercializam mais passagens do que o avião realmente comporta, amparadas nessa margem. 

No entanto, quando todos os passageiros que compraram as passagens comparecem, pode acontecer o overbooking, impactando assim as pessoas que compraram os bilhetes e não conseguirão embarcar. 

Quais os meus direitos caso enfrente um overbooking?

Se você estiver na fila do embarque e descobrir que o voo onde embarcaria está com overbooking, a recomendação é de que siga o passo o passo abaixo. 

O primeiro ponto é questionar para a companhia aérea a razão pela qual esse passageiro não poderá embarcar. A empresa deverá, então, tomar as seguintes medidas. 

Reacomodar o passageiro no primeiro voo disponível por essa mesma companhia aérea, para o mesmo destino; arcar com despesas de telefonia e internet caso a espera supere uma hora; fornecer alimentação em esperas superiores a duas horas e custear a estadia em hotel com traslado quando a espera supera as quatro horas. 

No entanto, antes que chegue a essa situação, as empresas aéreas costumam buscar, entre os passageiros, voluntários que desistam do voo. Para convencer essas pessoas, as empresas tendem a oferecer recompensas, como milhas, dinheiro, diárias em hotéis ou passagens extras, dentre outras. 

Quando nenhum dos passageiros aceita ser voluntário, a empresa pode, ela mesma, escolher ou sortear aqueles que deixarão o voo sem sua vontade, conhecido também como preterição involuntária. 

No entanto, tanto quando a preterição acontece de forma voluntária ou involuntária, a Anac (Agência Nacional de Aviação Civil) informa que o passageiro pode tentar obter o reembolso integral do valor pago por sua passagem ou, ainda, tentar realizar o trecho da viagem por outro meio de transporte, também pago pela empresa. 

Regras

A Anac determina, também, algumas regras para os passageiros realocados. A lei diz, por exemplo, que a empresa deverá arcar com todas as despesas para embarcar passageiros no próximo voo caso esses estejam disponíveis para o mesmo trecho ou destino. 

Quando a viagem é feita por uma família, todos os passageiros devem ser realocados no mesmo voo ou ser indenizados da mesma forma. A lei diz, ainda que, caso o passageiro desejar, poderá remarcar seu voo para outra data e horário de sua preferência, sem custo. 

É importante, no entanto, que o passageiro fique atento, pois deverá respeitar o tempo mínimo de antecedência em embarques para que tenha seus direitos respeitados em caso de overbooking. 

Como pedir indenização por overbooking?

O overbooking é um evento que causa um enorme estresse em quem está com a viagem marcada. Por isso, é possível ao passageiro que lida com esse evento ingressar com uma ação de danos morais e materiais. 

Aqui, a recomendação é procurar o Juizado Especial Cível e reunir o maior número de provas, mostrando assim que o overbooking trouxe perdas morais e materiais a essa pessoa. 

Nesta esfera, os julgamentos costumam ser rápidos e, em geral, o passageiro tem ganho de causa, já que as empresas aéreas reconhecem o quão prejudicial é o overbooking. 

É importante apenas que o passageiro fique atento ao valor da indenização pedida. Montantes muito altos não são aceitos nesta esfera, que trabalha apenas com pequenas indenizações. 

Caso queira ajuda especializada, entre em contato com a indenizar.

O post Overbooking é prática ilegal e gera indenização por danos morais e materiais apareceu primeiro em Indenizar.

Direitos em caso de atraso de voo e perda de conexão

Viajar de avião é algo corriqueiro. Tanto que faz parte da rotina de muitos executivos ou mesmo de famílias em férias, que optam por esse modal para chegar a outras cidades do Brasil ou do mundo. 

O sucesso da aviação se deve, em muito, à qualidade e velocidade desse meio de transporte. Com um avião, uma pessoa chega rapidamente a cidades que, normalmente, demoraria horas para fazer esse deslocamento tradicionalmente. 

Apesar disso, como em todo meio de transporte, existem algumas situações que podem provocar um desequilíbrio em todo o sistema, levando a atrasos na decolagem que podem, inclusive, fazer com que o passageiro perca um voo de conexão. 

O que fazer quando nos deparamos com uma situação como essa? A quem recorrer para ter acesso a meus direitos? Para responder a essas perguntas, preparamos um texto completo com várias orientações que podem ajudar aqueles que estão vivenciando esse momento delicado. Confira. 

O que pode levar ao atraso de um voo?

A operação das companhias aéreas costuma ser bastante organizada. No entanto, em algumas situações, pode acontecer esse temido desequilíbrio, atrasando a chegada e partida de voos e fazendo com que passageiros percam seus voos. 

Por isso, é importante conhecer algumas das situações que podem motivar esse incidente. Veja abaixo as principais razões. 

Condições climáticas

Eventos como névoa baixa, chuvas ou ventos fortes podem restringir o uso das pistas do aeroporto, exigir que as aeronaves mantenham uma distância maior na hora do pouso ou da decolagem ou, em casos extremos, ocasionar o fechamento do aeroporto. 

Quando isso acontece, todos os voos são afetados, pois eles podem ser redirecionados para outros destinos, atrasando assim as chegadas e partidas, em um efeito dominó que afeta todo o sistema. 

Manutenção não programada

Mesmo muito seguros e alvo de manutenções constantes, os aviões, assim como todas as máquinas, podem apresentar problemas inesperados e que exijam manutenção imediata, como a troca de pneus ou problemas elétricos, por exemplo. 

Quando isso acontece, o voo pode atrasar, pois algumas empresas não possuem aeronaves reserva no aeroporto, atrasando assim o embarque daquele voo onde foi necessária a manutenção emergencial. 

Excesso de tráfego aéreo

Diversos fatores podem causar um congestionamento de aeronaves nos céus, como gargalos na infraestrutura aeroportuária, condições climáticas nas proximidades do aeroporto ou em outros nos arredores. 

Quando isso acontece, todos os voos costumam ser afetados, gerando atrasos em sequência, prejudicando principalmente aqueles passageiros que dependem da pontualidade da aterrissagem para não perder suas conexões. 

Problemas ou falta de tripulação

Algumas vezes, as empresas áreas precisam lidar com pilotos ou comissários de voo que faltam ou chegam atrasados em um voo. Ou, ainda, esses profissionais já excederam sua escala de trabalho e precisam ser substituídos. 

Para que as decolagens aconteçam normalmente, as companhias possuem equipes reservas, que ficam de prontidão para assumir em caso de substituição. 

Contudo, algumas vezes essa troca pode falhar ou precisar de mais tempo do que o previsto para ser realizada, fazendo com que o voo atrase

Volume de ocupação de voo

Quando a taxa de ocupação de um voo fica abaixo dos 30% a empresa aérea pode tomar providências , como juntar esse voo a outro que decolaria mais tarde ou, ainda, reacomodar seus passageiros. 

Esses eventos podem atrasar a partida da aeronave. O mesmo acontece quando o avião está cheio demais. Muitos passageiros fazem com que o desembarque seja lento, demorando mais do que previsto. 

Meu voo atrasou e eu perdi minha conexão. Quais os meus direitos?

Segundo a legislação que rege a aviação civil, as companhias aéreas são obrigadas a fornecer assistência gratuita aos passageiros quando seu voo atrasa. 

O nível dessa assistência costuma variar de acordo com o tempo de atraso da decolagem. 

Por exemplo, quando o voo atrasa até uma hora, a empresa deve fornecer meios de comunicação ao passageiro, como acesso à internet e telefone. 

Em atrasos superiores a duas horas, deve ser fornecido um voucher, que dê direito a alimentação. Atrasos de até quatro horas dão direito a acomodação ou hospedagem, caso esse seja necessário e transporte do aeroporto até o local onde o passageiro está acomodado. 

Caso a pessoa esteja no local de seu domicílio, a companhia aérea fornecerá esse transporte até a casa do passageiro e, de lá, até o aeroporto. 

Agora, se o voo atrasar mais de quatro horas, ou a empresa tiver uma estimativa de que atraso será por volta desse período, o passageiro tem direito a assistência material e opções de reacomodação ou reembolso. 

As empresas aéreas também são obrigadas a avisar, por telefone, e-mail ou mensagem de texto, em caso de atrasos ou cancelamento dos voos antes que os passageiros cheguem ao aeroporto. 

Quem não for comunicado com antecedência pode, também, exigir que sua viagem seja realizada por outro tipo de transporte, como ônibus por exemplo. 

Em todo o caso, é importante que o passageiro, caso estejam no aeroporto, procure o balcão de check-in da companhia aérea, informe um funcionário sobre o seu problema e exija uma solução. 

A empresa é obrigada a resolver os problemas do passageiro da melhor maneira que atenda às suas necessidades. Caso isso não aconteça, a pessoa pode entrar com uma ação no Juizado de Pequenas Causas ou, ainda, prestar uma queixa formal na Anac (Agência Nacional de Aviação Civil). 

Caso a decisão seja por uma ação, o recomendável é que o passageiro reúna provas, para mostrar na hora do julgamento de que o atraso causou prejuízos, como a perda da conexão. 

Como me prevenir de atrasos?

Evitar completamente que o voo atrase é impossível, infelizmente. Contudo existem alguns cuidados que ajudam a minimizar esse transtorno. Um deles é verificar, na véspera da viagem, os dados da reserva do voo. 

Algumas vezes, o passageiro pode descobrir que o voo foi alterado e a companhia aérea não o avisou, evitando assim transtornos que poderiam inclusive colocar a viagem em risco. 

É necessário também ficar muito atento ao painel de informações do aeroporto e seus avisos sonoros, para não ser pego de surpresa. 

O post Direitos em caso de atraso de voo e perda de conexão apareceu primeiro em Indenizar.

Como me tornei chef de cozinha

Entrevista com Alexia Burrer – Chef de cozinha de viagens em Cruzeiros

Qual é a parte mais desafiadora do seu trabalho?

Hoje em dia, uma das partes mais desafiantes do trabalho de um chefe de cozinha é encontrar jovens entusiastas que compreendam verdadeiramente a determinação e a dedicação que vem com um papel culinário. É um compromisso para toda a vida e algo que eu nunca mudaria.

Você tem um mantra ou lema pessoal que impulsiona a maneira como você cozinha?

Há alguns anos atrás, li uma citação anônima que ficou comigo e ainda me motiva hoje: “O caminho para o sucesso está sempre em construção”.

Se você pudesse cozinhar para uma personalidade de alto nível, quem seria e o que você gostaria de servir a eles?

Sempre quis cozinhar para o ex-presidente dos Estados Unidos, Bill Clinton. Eu cozinharia algo muito clássico e britânico: rabos de boi assados com purê de batata cremoso, seguido de pão e pudim de manteiga.

Com que frequência se come fora de casa? Qual é o seu lugar preferido na cidade?

Tento comer fora pelo menos uma vez por semana e tenho alguns lugares favoritos em Dubai. Mas não tenho um favorito para indicar.

Depois de cozinhar todo o dia, também cozinha para si em casa?

Na verdade, minha esposa Jennie faz a maior parte da comida em casa – ela é uma grande cozinheira! No entanto, eu insisto em cozinhar peixe em casa, juntamente com risotos simples.

Você é convidado a inventar um prato incomum – o que seria?

Que tal um prato que já fiz várias vezes? É um pouco invulgar, mas com um sabor que gosto muito: hummus de ervilha doce. É ervilhas doces cozidas, em vagem e puré, depois adicionadas ao hummus (75% de puré de ervilha doce, 25% de hummus). É o mais rico em cor verde e tem um final de boca naturalmente doce.

Se pudesse escolher uma última refeição, qual seria?

A minha última refeição seria provavelmente a que eu cozinharia para o Bill Clinton, algo nostálgico e caseiro. Eu não me importaria se o molho de rabo de boi espirrasse por toda a minha camisa, pois eu estaria muito ocupado desfrutando dos ternos e ricos sabores, já que a carne cai do osso.

Qual é o seu destino culinário preferido, e porquê?

Os meus destinos culinários preferidos são a Itália e a França, dois países que oferecem grandes estilos de comida e ingredientes de incrível qualidade para acompanhar. Um dos meus lugares preferidos para comer é o restaurante Guy Savoy em Paris – três estrelas Michelin e o homem é um génio da gastronomia. Já comi lá sete vezes e espero acrescentar muitas mais visitas nos próximos anos.

Quem você mais admira no mundo da culinária, e por quê?

Admiro os irmãos Roux no Reino Unido. O Chef Albert e Michel  são artistas culinários que acompanhei ao longo da minha carreira com pura admiração e amor por ambos. Eu gosto de me considerar um verdadeiro amigo da família Roux agora. Seus filhos, Michel Jr e Alain, também são chefs incríveis com os quais mantenho contato e respeito.

Comfort food favorita?

Isso seria uma tigela de sopa de tomate Heinz com muito bom pão sourdough crocante! Inclusive vi uma receita de pão caseiro bem interessante.

Um ingrediente/prato que não suporta, e porquê.

O único ingrediente que não suporto é a tripa! Dá-me náuseas. Tentei cozinhá-lo durante horas e horas, esperando que os sabores evoluam, mas não evoluem – ainda é VILE!

A sua memória favorita de comida.

Esponja de limão ao vapor com molho de limão! Lembro-me muito bem: Tinha apenas 13 anos e decidi cozinhá-la para a minha família. As suas expressões faciais e respostas foram inestimáveis, especialmente quando o tirei da tigela e deitei o molho de limão sobre ele – nunca o esquecerei. O quarto estava cheio de um perfume cítrico e foi nessa altura que decidi tornar-me chefe de cozinha!